bem vindo! html7

ENTREVISTA SOBRE O ÁLBUM WONDERLAND - FYI MUSIC CANADA


Há dois dias do lançamento do álbum Wonderland, Sarah concedeu esta entrevista ao site FYI Music Canada, contando alguns detalhes de onde surgiu a ideia de gravar o segundo álbum natalino, a seleção das músicas e o desafio das gravações.

Confira a tradução:

---
"As músicas têm sido criadas em milhares de formas diferentes e, como músico, você deve se esforçar um pouco para criar algo diferente, que as pessoas nunca ouviram", Sarah explica se referindo a Wonderland, sua coleção natalina que será lançada pela gravadora Verve na próxima sexta-feira, dia 21. "Sinto a responsabilidade de criar algo único e diferente. Você tem que seguir a linha entre criar algo novo e respeitar a história e a tradição. Você nunca sabe qual será o resultado".

Criada em Halifax, McLachlan diz que ouvia o álbum natalino de Harry Belafonte todo ano, e que isto acabou sendo sua estrela-guia. "Este é o único álbum que tínhamos e o colocávamos para tocar repetidamente na época do Natal. Eu estava tão apaixonada pelo jeito que ele cantava aquelas músicas, pelo amor e alma que ele colocava naquilo", ela diz. "Este é o tipo de álbum natalino que eu gostaria de fazer. Queria criar algo que fizesse com que as pessoas sentissem o mesmo que eu sentia ao ouvir aquele álbum".

E claro, a primeira tarefa para isso foi escolher as músicas. "Eu sabia que não queria fazer algo que soasse como "Frosty, o boneco de neve". Como eu poderia produzir o álbum sem que parecesse banal e bobo?", ela disse. Então ela começou a pesquisar por músicas natalinas e sons mais crús, tentando descobrir como os interpretaria do seu jeito. "Na maioria das vezes, simplesmente segui minha intuição. Acho que o álbum mostra bem isso", ela reflete.

A seleção das músicas voltou para os anos 1600, com "O Come, All Ye Faithful". Uma das canções de época mais recente é "Snow", de Randy Newman (1960), a qual McLachlan gravou ao vivo, tocando piano. "É engraçado, algumas pessoas fizeram comentários do tipo 'não tenho certeza se essa música deveria fazer parte de um álbum natalino, é um pouco sombria, triste', então eu disse 'o Natal não se trata somente de um evento em família e de confraternizações, também se trata de muitas pessoas que acabam passando o Natal praticamente sozinhas. É uma época de carga emocional muito forte'.

McLachlan produziu e gravou o álbum Wonderland no último inverno, na maior parte do tempo em Montreal e no estúdio de seu produtor Pierre Marchand, com trabalhos adicionais no estúdio dela em Vancouver. "Ele tem três filhos, eu tenho duas filhas, então organizar nossas agendas é algo intenso", ela diz. "Fui até ele por sete dias, ele veio até aqui também por sete dias. Foram quatro ou cinco maratonas desse tipo".

A produção do álbum veio em boa hora para Sarah, que também está trabalhando em um follow-up de seu álbum de estúdio lançado em 2014, Shine On.

"Este inverno foi difícil pra mim porque tive meu coração partido enquanto estava compondo, mas ao mesmo tempo eu também estava produzindo o álbum natalino. É uma alegria estar no estúdio e ter lindas músicas para gravar, cantar, explorar e descobrir o que será feito com elas. Então a oportunidade de estar no estúdio acabou sendo uma ótima válvula de escape e de alívio".

Sarah, que passou a maior parte do verão em turnê com Josh Groban, contou com a colaboração de novos e velhos na produção de Wonderland. Emmylou Harris, uma amiga desde o primeiro ano da Lilith Fair em 1996, contribuiu nos vocais de "Go Tell It On The Mountain" e "Away In A Manger".

"Ela é simplesmente um lindo ser humano e eu sempre amei sua voz. Em um álbum natalino você tem a oportunidade de trazer pessoas diferentes para a mixagem, e eu logo pensei nela."

Martha Wainwright também foi ao estúdio em Montreal para gravar os vocais de "Away In A Manger". "Ela é outra pessoa que tem uma voz única que eu adoro. Honestamente, eu gostaria de ter contado com a participação de várias outras pessoas para as gravações, mas foi o que consegui em meio à agenda restrita que tínhamos".

Membros do quarteto canadense Half Moon Run tocaram em cinco músicas e ajudaram Sarah em alguns arranjos. "Eles estão na faixa dos vinte e poucos anos. São músicos incríveis", ela diz entusiasmada. Para a música natalina canadense mais antiga, "Huron Carol", o baixista da Half Moon Run disse à Sarah 'percebi uma batida', "e começou a tocar essa batida louca no estilo John Bonham", Sarah lembra. "Eu jamais iria pensar em algo parecido, e aquilo foi perfeitamente em direção ao que eu estava pretendendo fazer. Essa é a beleza de ter grandes músicos no estúdio, eles trazem seu toque único a uma determinada parte, fazendo com que algo se torne incrível.

No círculo de convidados especiais também temos a Bulgarian Symphony Orchestra, que participou da gravação de quatro músicas, incluindo "Let It Snow", "Silver Bells" e "Huron Carol". Sarah alistou o arranjador orquestral Brian Byrne para coordenar os arranjos. "Decidimos previamente que seria ótimo ter arranjos de corda e deixamos um espaço para que ele coordenasse e dissesse 'façam a mágica acontecer'. E ele fez".

"Há muitas pessoas me dizendo 'Wintersong é um álbum que colocamos para tocar todos os anos, se tornou parte de nossa tradição familiar', e eu adoro isso. Amo saber que algo que criei se tornou parte do mundo de alguém e os faz se sentir conectados, ou mesmo os deixa mais próximos de suas emoções. Espero que Wonderland faça o mesmo. Acho que é um grande presente que a música nos deu".
---

# Compartilhe